.feed-links { clear: both; line-height: 2.5em; text-indent:-9999em;}

sábado, 25 de setembro de 2010

Sozinho em Casa? e Dai?

Ainda há o que dizer sobre "EU SOU RICA", depois escrevo ...

Post "meio" grande. Não consegui me controlar, nem cortar! Risos.

As pessoas hoje, fogem de ficar sozinhas e estão sempre enlouquecidas procurando alguém, como se ficar sozinho fosse uma doença ou pecado, mas

O Que há para se fazer Quando Se Está Sozinho Em Casa!!!

Procure na internet! Tudo se relaciona a fazer coisas nú, desnudo em casa. Bobinho, não?
(Gente, só um momento que vou tirar a roupa, pois estou sozinho em casa, com esse calor lascado, é a coisa mais sensata a se fazer. Risos)

Pronto! Segue, então, minha versão particular do que se fazer em casa sozinho:
(Nos parentesis, coloco meus comentários)

1 - Leia um bom livro, se gostar de ler. Em voz altam, se quiser. Se for mais lírico ou romântico, declame poesias (Vai ser moleza se concentrar, pois ninguém fará barulho ou te chamará o tempo todo);

2 - Veja um filme, aquele que ninguém nunca quer ver com você (Sugiro Bambi, assim você chorar livremente quando a mãe dele morrer sem ninguém ficar tirando onda com a sua cara);

3 - Escreva, se gostar (Sem amarras); ou desenhe se tiver talento; ou, sei lá, pinte um quadro. (Essas coisas ai dependem de talento e tals; Nem todos têm, Risos) Uma vez escrevi nas paredes, mas ai acho que já é demais! Risos.



4 - Convide-se para jantar; Cozinhe seu prato preferido, arrume a mesa e tome um vinho, ou coca-cola, ou sei lá. (Se não gostar de cozinhar pede a comida favorita por tele-entrega) (Ai, se tá duro, come miojo como se fosse assim um manjar dos deuses) Se quiser, faça caras e poucas, que ninguém vai ver mesmo, pode até pegar a comida com a mão, lamber os dedos, ou comer direto na panela (Essas coisa que as amarras sociais não nos permitem fazer em público. Risos).

5 - Coloque a música bem alta (Se morar em casa), ou então, coloque o Mp3 no ouvido e dance livremente pela casa. Pode rodopiar, dublar, fazer performance e ser tão ridículo, como a sua cabeça imaginar, afinal de contas ninguém vai estar olhando mesmo; Se tiver um cachorro ou um gato pode dançar com ele também. Mas cuidado, gatos têm unhas e, em geral, não gostam de muito balanço.

6 - Tome um Banho de Princesa! (Aquele bem demorado, com água morna ou quente, se tiver banheira pode ter sais, essas frescuras. Eu coloco música e aproveito para dançar no chuveiro. Se quiser cantar também pode. No chuveiro, faça massagem no seu coro cabeludo, no corpo todo, ensaboe-se várias vezes, sinta e acaricie seu corpo. Não esqueça de massagear a planta dos pés, quase ninguém faz e o prazer é surpreendente) Ninguém vai ficar batendo na porta, reclmando da demora, da luz, ou que quer usar o banheiro, etc;


7 - Faça Silêncio, Medite (Esse é o momento mais adequado, sem Comentários);

8 - Fale sozinho, se quiser em línguas estrangeiras, mortas ou até inexistentes; Se quiser, pode até fazer diálogos com quem quiser (Ex, Deus (recomendo), qualquer personalidade, etc) . Pode fazer um dos papéis ou se quiser os dois: Pergunte e depois, mude o tom de voz e responda; Pode gritar, chorar, bater em uma almofada como se fosse o outro. Antes isso era chamado loucura, hoje pode chamar de "psicodrama";

9 - Fique sem dormir; Sim, passe a noite em claro, fazendo o que te dê prazer. Ninguém vai levantar no meio da noite com a cara toda amassada, o cabelo em pé e dizer em tom condenatório: Você não vai dormir, não?

10 - Flerte com você mesmo no espelho; Pisque, mande beijos, acene. (Se você quiser você pode colocar uma música e "simular" um ambiente mais boate. Então, o carão só vai depender de você;



11 - Faça uma sessão de auto-retratos. O resultado pode ser bem interessante;

12 - Jogue futebol ou frescobol dentro de casa. Escolha a melhor parede e vá em frente; Se quebrar algo, você pode colocar a culpa no gato ou no cachorro!

Você pode fazer tudo isso pelado ou não; Fica a gosto do leitor; Com esse calor é até razoável fazer de cueca!!!

Por último, Sugiro para os mais "verdes" mexer no jardim, na horta, nas samambaias, ou sei lá. Dá para agoar, trocar a terra, arrancar ervas daninhas, etc, sem ninguém ficar perguntando se vai demorar muito ou qual a graça disso.
Mexer com a terra é algo fantástico, recomendo; Mas acho que isso dá para fazer com todo mundo em casa. Risos.

terça-feira, 21 de setembro de 2010

EU SOU RICA! (2), Palavras Têm Poder!!!

A cena da Carolina Ferraz gritando: EU SOU RICA!
Está rendendo ...

Eu já falei aqui umas três vezes que eu acredito que as palavras têm poder, por
diversas razões (raízes culturais, uma mãe psicóloga e algumas vivências anteriores).

Deixo claro, não acredito em neuro-lingüistica, nem no segredo, nem em nada do gênero e nem em coincidências ...

Mas essa crença nunca foi tão comicamente provada para mim mesmo. (risos)

Meu post anterior foi: EU SOU RICA! Não fique triste, fique RICA. Postei a música o vídeo e tudo mais. Quem me conhece pode calcular quanta vezes eu ouvi a música de Las Bibas From Vizcaya. Se você não me conhece, vou te dizer: Acho que umas 15.348 vezes de Sexta para cá.

Hindus acreditam em Mantras, poema ou canções sagradas, compostas de poucas sílabas ou poucas palavras, com um poder quase mágico que facilitam ou atraem energias favoráveis. (Minha visão particular do fenômeno)

Será que EU SOU RICA, é o meu mantra? (Pensei até um acróstico para RICA, que tem tudo a ver comigo, escrevo sobre outro dia)

O surpreendente é que hoje às 9 h da manhã, recebo um telefonema do meu banco, me oferecendo o último cartão da segmentação de clientes (o cartão das mais RICAS do banco).



Eu disse:A senhora está enganada, minha renda não suporta os pré-requisitos do cartão e não tenho aplicações (medem em cifras de muitos zeros como nunca vi na minha conta). Ah, já entendi. O banco está oferecendo a todos servidores do órgão.
Ela disse: Não estamos selecionando apenas alguns clientes especiais.
Eu pensei:Caracas, o banco está pensando que: ... EU SOU RICA!!!

Recusei o cartão, é claro! O pior que já reclamei no banco querendo o cartão mais simples. parece até piada.

Quando cheguei ao trabalho: Perguntei ao pessoal que ganha mole o dobro que eu se eles tinham recebido o convite para entrar no tal cartão e todos disseram que não. Liguei para um conhecido que tem conta no mesmo banco, salário maior que o meu e um monte de aplicações e ele também não recebeu nenhum convite.

Acredito sinceramente, que deve ter acontecido um engano, mas pelo sim e pelo não, continuarei ouvindo e cantando, pelo menos até o fim da semana, a música de Las Bibas From Vizcaya: EU SOU RICA!



Vai que me aparece algum atrasado de 10, 15 mil ou ganho no sorteio do seguro do carro qualquer 30 mil, iria cair super bem na minha conta.

Ah! quem quiser colaborar pode depositar na minha conta, Porque ... EU SOU RICA!!! e não me incomodo de ficar mais RICA (Risos).

Conclusão particular: Sugiro a todos continuar falando e cantando coisas boas, afinal até o banco já acredita que EU SOU RICA!!! (Eu pensei que o banco seria o mais dificil de convencer, risos)

POST ANTERIORES: Palavras: Poder: IN, SUB, Consciente; A Arte de Decifrar

sábado, 18 de setembro de 2010

EU SOU RICA!!! Não Fique Triste, Fique Rica!!!

Um video invadiou a internet no Brasil, 7 segundos,Carolina Ferraz, linda, na cena de alguma novela, gritando: Porque Eu sou Rica! Eu sou Rica!

Virou uma mania geral, invadiou os recados do orkut , o mundo Gay / Mix. e vai ganhar a boca do povo. Inspiradas no video, Las Biba from Vizcaya lançaram um hit.



A Drops Music Bar, em Brasília, fez uma festa chamada "Eu Sou Rica!" e fez uma versão própria do hit, chamada "Eu sou rica e famosa", que eu não achei na internet.

O mais engraçado é que meus amigos Raih e Alê, desde o ano passado, sempre me disseram, quando estava triste ou aborrecido: Não fique triste, fique Rica! ou Não fique cansado, fique Rica! ou ainda, Não Fique Derprê, Fique Rica! e assim por diante.

Na Argentina, RICA significa gostosa, saborosa, deliciosa. Então, muitas vezes se diz: Ai, que Rico!!! ai que rico!!! Em relação a comida e também na intimidade do casal. (Risos).

Juntando Tudo isso misturado comicamente constrói algo mais ou menos assim: Não fique ( insira aqui o sentimento ou sensação ruim), Fique Rica. Porque eu, Eu Sou Rica!!!

Neste caso, Você pode entender Rica com um significado financeiro (Se você lê isso agora, você com certeza tem saúde, estudo, moradia, emprego, alimento e acesso a internet, nesse país de grandes contrastes você é rica, então encha o peito e grite: EU SOU RICA!) ou então, você pode entender Rica com um significado brasileiro-portenha, traduzindo como gostosa, gostoso, delícia, algo assim atraente.

Então, Eu vou dizer: "Não ficar aborrecido de ainda não ter o carro dos meus sonhos, Eu vou ficar Rica! ... Porque eu, EU SOU RICA!!!

Porque se você não é, eu sou ... EU SOU RICA!!!
(Em todos os sentidos da palavra, risos)


video

Frisson no Trabalho ou O Lenço

(Post enorme, mas cômico)

O que causa frisson no seu ambiente de trabalho? A colega boazuda de decote? O colega que peca na higiene pessoal? Um lenço?

Isso mesmo um lenço. Não um lenço de assuar o nariz, mas um lenço decorativo que se coloca em volta do pescoço.

Então, hoje, fui convidado para ir a um jantar árabe, então para compor o figurino, coloquei um blazer e completei com um lenço palestino azul claro. Tudo no maior estilo arábe, mas com a classe e sofisticação.

É provável que na maioria dos ambientes não cause efeito algum, mas no meu caiu como uma bomba cômica. (risos).

O meu ambiente de trabalho não é assim o mais sério, eu o classificaria com bem descontraído, para ser bondoso. Diria jocoso, para ser real. Além disso, eu não classificaria os homens como “gay friendly”.

Na verdade, hoje, depois de todos os anos que existo lá e com os avanços, como as paradas, eles provavelmente têm medo dos gays e de suas sofisticações.

Eu existir lá significa: Não me retrair ou recuar com qualquer piadinha ou insinuação e quando necessário confrontar.

Há momentos que me sinto com a Suzy Brasil fazendo seu Stand Up Comedy Show, por que sempre há uma piada e eu tenho que respondê-la a altura e rapidamente. O ótimo é que penso três vezes mais rápido que a maioria das pessoas então, em geral, é fácil.



Depois de contextualizado, voltemos ao lenço. Cheguei ao trabalho, cumprimentei a todos e logo, um gaiato qualquer perguntou:o que é isso? Respondi: Um lenço. E sai para uma reunião.

Quando voltei, as piadas inundaram a sala. Chamaram o lenço de pano de mesa, pano de prato, pano de chão, de rede, de toalha de piquenique e de outras bobagens que eu não me recordo.

Perguntaram que diligência eu ia assaltar (Pode?) acho que eles ficaram os trinta minutos que eu estava fora maquinando o que iam falar. Eu falei para todos ouvirem: ISSO AQUI É UM LENÇO PALESTINO, UTILIZADO HÁ ANOS NA EUROPA, MAS VOCÊ NÃO TEM SOFISTICAÇÃO PARA ENTENDER. (Tudo dito com um sorriso nos lábios e em tom cômico)

Logo depois muitos foram os elogios das estagiárias e das mulheres mais bem vestidas do setor. Então os elogios, detonaram mais uma série de piadas.

Então foi necessário ser um pouco mais enérgico, digamos assim, então, comecei a dizer o seguinte:

Sabe qual é o problema de vocês, é que vocês estão com inveja, porque vocês nessa vida nunca poderão usar algo assim. Primeiro porque estão amarrados às convenções e o corpinho também não ajuda. É melhor vocês continuarem com essas roupinhas baratas da feira. (Nada contra roupa de feira, mas causou efeito).

Ta confesso: O lenço palestino não é assim um Dolce Gabbana, mas é como dizia a minha avó: A pessoa nasce com classe. (Risos)

Indo para uma reunião depois desse rebuliço na minha sala, passando no meio do corredor, uma funcionária que eu não conheço disse: Lindo lenço. Eu respondi: Muito obrigado. (Acho que fiquei até ruborizado)



Agora o mais cômico foi explicar para as moças da limpeza que eu não estava com dor de garganta (Risos).

Fui ao jantar árabe e foi tudo de bom, depois na pista de dança, senti calor e tirei o lenço, mas minhas amigas disseram: Não tira, está um charme. Fui ao banheiro e o recoloquei.

Na festa estava cheia de militares aposentados. Como no trabalho, eu era o único homem com lenço, mas não causei frisson algum, pois uma senhora, magríssima, sem peito e sem bunda, foi com sua roupa de dança do ventre e roubou todas as atenções. (Risos)

Qual é o lugar mais conservador dessa cidade mesmo? Um Casa que tem como missão garantir o exercício do direito ou uma festa de militares aposentados? (Confuso, não?)

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Palavras: Poder: (Sub), (IN) Consciente

Hoje o post "cabeça" que foi citado ...

Já falei sobre como encaro as palavras em Arte de Decifrar

Resumindo: Acredito verdadeiramente que as palavras têm poder. Para mim, não são simples sons bradados ao vento, carregam muita energia consciente e subconsciente.

Freud relacionou o pensamento ao questionar a forma que se encarava o inconsciente e consolidar uma nova perspectiva: O subconsciente influência o nosso comportamento.

Agora, que poder têm as palavras que dizemos no subconsciente? O inconsciente comanda ou é comandado pelas palavras que dizemos?

Sabe, é como aqueles enigmas de criança: Tostines vende mais porque é fresquinho, ou é fresquinho porque vende mais?

E mais uma pergunta: Alguém questiona a mensagem das músicas que cantarola no automático, sem prestar atenção no que as palavras e frases que canta significam?

Todo esse questionamento vem do último presente que ganhei. Um CD do The XX, banda muito boa, que eu recomendo. Logo, foi colocada a música 9, The infinity. Letra e arranjo perfeitos.



Quando gosto, gosto mesmo e nesse caso não era só eu. Então, nos dias que se seguiram a música foi repetida um zilhão de vezes. Nós nos concentrávamos apenas em palavras soltas, mas a letra parece contar a história de como as coisas acabaram.

O que explicaria isso? O subconsciente de quem me deu o presente e depois cantarolou a musica comigo um milhão de vezes sintonou a idéia que logo iria sair? Ou foi influenciada pela mensagem que foi repetida um milhão de vezes? ou não tem nada a ver, é só uma coincidência? Eu não acredito em coincidências ...

Os nazistas diziam: Repita uma idéia muitas vezes e ela se tornará uma verdade.

Eu pensei muito sobre isso e não cheguei nenhuma conclusão definitiva. Mas em uma coisa acredito: As palavras têm poder, então vamos seguir falando o melhor?



PS: Escrevo do café do CCBB e tem um bebê lindo aqui que sorriu para mim e me fez ter certeza de que a vida vale a pena.

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Anima Mundi em Brasília !!!

Eu tinha um post, tri-cabeça para hoje, uma viagem danada, falava do Freud e tals.

Depois, mudei de idéia, ia escrever sobre Brasília e suas diversas opções de diversão e tal, mas o tico e o teco já pediram para sair, então, vou falar claro:

Para todos que dizem que Brasília é chata e sem opções, ai vai:

O Anima Mundi, festival de animação, estará em Brasília até o dia 13 de Setembro (Segunda)

Aproveitem!!!

Eu assisti hoje duas séries de curtas, e gostei muito de "O menino e a fera"(Muito bonito a inôcência como trata de um tema tão complicado) e "Imagine uma menina com cabelos de Brasil"

Detestei " L' Education Sentimentale" tanta violencia sem sentido, quase levanto do cinema e vou embora.





Programação Sexta 10/09
Programação Sábado 11/09
Programação Domingo 12/09

Sabe esse programa era perfeito para fazer com uma pessoa determinada, no início fiquei um pouco triste, bateu uma saudades e depois passou.

terça-feira, 7 de setembro de 2010

Brasília é o Nosso Lar?

Ontem eu fui assistir Nosso Lar: O Filme. Eu já havia lido o livro, acho que algumas vezes e para variar como acontece nesses casos de livros que viram filme, eu acho que podia ter sido melhor. Mas na média gostei muito e recomendo.

O que mais me chamou a atenção foram os comentários na sala sobre a arquitetura de Nosso Lar no filme ser igualzinha a Brasília.

Então, a todo momento alguém dizia: Por isso que aqui é tão bom, já estamos no paraíso.

Há monumentos em nosso lar que são muito parecidos aos de Brasília, como o templo da Boa Vontade (Ministério da Comunicação com o Terreno, ou algo assim, no filme) e o Museu da República (Ministério da Reencarnação, ou algo assim, no filme) e os edifícios que circundam o centro de nosso lar lembram muito as superquadras. Minha amiga disse: Nunca mais entro no museu da república, sabe-se lá onde vou parar! Risos!



Embora eu nem de longe seja espírita, algumas mensagens do filme chamaram a atenção. Ficam as seguintes mensagens: Sempre é tempo de recomeçar; a vida é um aprendizado; O orgulho e o egoísmo são a grande chaga da humanidade; Conectar-se com sentimentos ruins é gerar cânceres e desgastes no corpo; Sempre que nos conectamos com o pior em nós voltamos para o Umbral (purgatório)

O filme tem momentos comovente de levar as lágrimas; Eu me comovi muito com a chegada dos refugiados da Segunda Guerra Mundial (Claro!), com o encontro de André Luiz com a mãe e quando a “criada” da família se despede do espírito de André Luiz que voltou a casa. (porque a criada negra com religião afro-americana, já espiritualista).



Esse foi o momento mais tragicômico: A criada diz: "Tchau . Doutor André,” Eu começo a chorar. Lá no meio do cinema alguém diz: “Eu não quero morrer”. Então no meio do choro, explode uma gargalhada. Pense em uma pessoa confusa com seus sentimentos. Minha parte mais profunda chorava em quanto a externa gargalhava. Risos!!! Mas acho que as vezes no dia-a-dia é assim.

O Silêncio ... Enjoy the Silence

Enjoy the Silence (Aproveite o Silêncio) diz a canção mais que famosa da década de 80. Porque as pessoas desenvolvem relações tão diferentes com o silêncio?

Para uns é uma benção, para outras uma maldição! Uma coisa digo sem medo de errar: Todos queremos ter o controle sobre o silêncio ou sua ausência. Há algo mais enlouquecedor do que tentar dormir enquanto o vizinho ouve aquela música enlouquecedora a todo volume?

Quando sai de casa, em um longo e distante carnaval, a época eu já tinha dois gatos, sempre que me perguntavam o que era o melhor coisa, eu sempre respondia:

O silêncio! ou melhor mandar no silêncio! Eu grito: Agora vamos fazer silêncio! E segue-se o silêncio, é mágico. Risos!

Hoje, quase 10 anos depois, já não acho mais tanta graça em gritar: Agora é hora do silêncio!. Embora em alguns momentos me seja usurpado esse poder por uma reforma que quase me enlouquece. A música também foi preenchendo muito desses vácuos de sons!

Em 10 anos, embora muitos pensem impossível, existiram muitos e muitos dias em que fiquei absolutamente em silêncio e não vi graça nenhuma nisso. Quando morei fora, também existiram domingo de completo silêncio, eu achava triste. A interação sempre foi bem mais divertida e proveitosa.

Os silêncios se mostram muito proveitosos para meditações, pessoais e solitárias como devem ser.

Silêncios a dois deveriam ser, a princípio, sempre acordados: Aquele momento que seu pai vê o jogo de futebol, ou sua mãe lê um livro, medita no canto da sala, sai para caminhar, faz mosáicos. Para mim sempre pareceram um pouco constrangedores, uma opção voluntária pela não interação, por não compartilhar. Todas as vezes que aconteceram eram sinal de que algo não ia bem, mas é só uma vivência.

Não sei porque o silêncio sempre me remete a ausência de vida, a morte. No último final de semana de vida de um dos meus tios avôs, que morreu de cânceres pelo cigarro, indagado por minha avó porque ele estava tão triste, afinal estavamos em casa e ele tinha melhorado, ele escreveu: Não falo mais, falar é a alegria da vida!

Isso me marcou muito, então, para mim não falar voluntariamente é destinar algo a ausência de vida, de alegria.

Quem defenda o silêncio deve dizer que nele podemos observar melhor o que o som abafa. Pode-se prestar mais atenção nos outros sentidos. Para esse argumento, vou dar mais uma sugestão: Feche os olhos! Somos extra visuais e visite "A Gota" em Alto Paraíso, experiência auditivel única.



Termino com uma frase do Martin Luther King:
"O que mais me preocupa não é o grito dos violentos ... o que mais preocupa é o silêncio dos bons"

sábado, 4 de setembro de 2010

Sua Vida Daria Um Filme?

Certo dia, escrevi sobre músicas e se não me engano o título era: Sua vida tem trilha sonora? A resposta foi sim, Sim minha vida teve, tem e para sempre terá trilha sonora.

Não é de se surpreender que a resposta a pergunta do título (Sua vida daria um filme?) seja sim. Sim, a minha vida dá um filme ... Esse tema tem ido e vindo na minha cabeça.

Okay, dá um filme, mas que tipo de filme? No meu caso, acho que seria uma comédia dramática e com certeza teria que ser dirigida por Pedro Almodóvar.

Conheço pessoas narrariam a sua vida como como “A Noviça Rebelde” um musical cheio de pureza e inocência, um passeio no parque com nazistas a espreita, mas entre uma fuga e outra, há espaço para cantar e cantar ... (notaram que musicais não são meus preferidos)

Minha vida não foi assim um passeio no parque como a alguns podem pensar, não sei exatamente qual dos filmes do Almodovar se encaixaria mais na minha história. ... um pouco de todos, mas nenhum em essência.

Consigo até ver a primeira cena do filme da minha vida. Com certeza teria cabelos ao vento, fotografias, muitas gargalhadas e alguma coisa que desse um tom dramático e intenso. Que fizessem a audiência prender a respiração.

Um filme meu seria cheio de viradas na trama. Vários pequenos climaxes.

Claro, o roteiro seria próprio e exclusivo, cada um é um mundo e um universo, mas eu colocaria uma cena de “Abraço Partido (El Abrazo Partido)”, não do Almodóvar, mas do argentino Daniel Burman. A cena da mãe cobrando do filho um neto, é hilariante! Embora não tenha propriamente existido na minha vida, eu colocaria em um filme da minha vida assim mesmo.

No país da telenovela, acho que todos temos as vezes a impressão de que vivemos algum tipo de trama ficcional. É só uma idéia. Se juntarmos os dois posts Sua vida tem trilha sonora? com sua vida daria um filme, já temos boa parte da obra.

Agora basta sentar, escrever o roteiro e filmar. Faz assim, fazemos uma produção tipo B, para mostrar no show do gongo do mix Brasil. meio caminho andado. Brincadeira!!!

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Saudades de Tudo que Eu Ainda Não Vi

Se vocês perceberam mudei o nome do Blog: O Muro, a Gaiola ... Ainda não sei exatamente o que quer dizer, mas saiu assim ...

Apesar de continuar dando de cara com o Muro, vou continuar a falar de saudades.
Não há por que fingir que não se sente o que se sente.
Há uma música do Legião Urbana, "Indios" em que diz o seguinte:

... Saudades que eu sinto, de tudo que ainda eu não vi ...

Eu sempre me questionei sobre esse trecho queria dizer. Na minha vivência atual, acredito que de certa forma, passei e passo por uma situação que me aproximou do que essa frase meio enigmática quer dizer.

Saudades daquilo que não se viu AINDA, são as saudades que sofremos dos planos, potenciais e perspectivas positivas de algum tipo de relacionamento: São saudades daquelas coisas que vocês juntos sonharam fazer, propuseram um ao outro ...



No meu caso, hoje, sinto saudades de coisas que não vi, mas que na minha cabeça seriam tão certas como dois e dois são quatro, mas que não se realizaram, acho que essa certeza inicial é que piora a saudade de tudo que eu ainda não vi.

Hoje, sinto saudades de não ter passeado com os cães, de não ter comido comida japonesa, de não ter visitado Pirinópolis, de não ter visitado o sítio, de não ter saído para dançar, de não ter dito sim no sinal no meio daquele pedido tão surpreendente, de não ter tido paciência para lidar com algumas crises.

Notem o seguinte, o Renato Russo disse que eu AINDA não vi. Para mim, isso deixa claro uma visão positiva. Algo como: Tenha calma! Ainda será, se não com esse, talvez com o próximo.